wibiya widget

quarta-feira, 23 de janeiro de 2013

* Aaron Swartz Vive !


Aaron  Swartz  Vive !  
#aaronswlives


Nas Terras da Poesia, onde nasci e vivo,
diz-se que Poeta não morre, se encanta!

Poesia na breve e intensa e para sempre 
perene  Vida de Aaron Swartz,
Gênio da Tecnologia da Informação
e Comunicação e da Política contemporâneas.

Tal qual o grande inventor e gênio brasileiro 
Alberto Santos Dumont, que não patenteava
suas invençõesAaron liberava
suas criações para o uso comum de tod@s,
não pretendendo lucrar com isto, como faz a maioria.

Interessado na difusão e no compartilhamento
da informação e do conhecimento,
não queria ser um milionário.

A ele, a nossa simples e eterna homenagem,
junto com uma profunda gratidão
e um enorme pedido de perdão,
por não termos conseguido evitar
o que fizeram a ele a estupidez e a crueldade
do sistema dominante em nossa época.

Nas mentes e nos corações de tod@s @s que cultivam
a consciência crítica, defendem o compartilhamento
das informações e dos Saberes e lutam pela Liberdade;

e até mesmo no uso de suas criações por aqueles
que não gostavam das suas ideias e crenças;

enfim, em todos os lugares e enquanto soprarem
os ventos da Imaginação e da Verdade,

Aaron Swartz Vive !  
#aaronswlives




O Movimento continua !  
#aaronswlives

Aaron Swartz, Guerilheiro da Internet Livre

Aaron Swartz e o Manifesto 
Guerrilha do Acesso Livre

Em 2008, indignado com a passividade dos cientistas 
com relação ao controle das informações por grandes corporações,
Swartz publicou um manifesto intitulado
Guerilla Open Access Manifesto 
(Manifesto Guerrilha do Acesso Livre).

Trata-se de um texto altamente revolucionário, 
que se encerra com um chamado:

 Não há justiça em seguir leis injustas.
É hora de vir à luz e, na grande tradição 
da desobediência civil, declarar nossa oposição 
a este roubo privado da cultura pública.

Precisamos levar informação, 
onde quer que ela esteja armazenada, 
fazer nossas cópias e compartilhá-la com o mundo.

Precisamos levar material que está protegido 
por direitos autorais e adicioná-lo ao arquivo. 
Precisamos comprar bancos de dados 
secretos e colocá-los na Web.

 Precisamos baixar revistas científicas e subi-las 
para redes de compartilhamento de arquivos.

Precisamos lutar pela Guerilla Open Access.

Se somarmos muitos de nós, não vamos apenas 
enviar uma forte mensagem de oposição 
à privatização do conhecimento vamos 
transformar essa privatização em algo do passado.




Demand Progress: http://demandprogress.org

Justiça para Aaron: suporte à Lei de Aaron:


Subject Justice for Aaron: http://abre.ai/lxj

Aaron's death was tragic and unnecessary.
Please help us make sure something like this 
never happens again by:

1) Support and cosponsor Aaron's Law 
and further amend the Computer Fraud and Abuse Act 
to make sure nobody's prosecuted 
for victimless alleged crimes.

2) Supporting an inquiry into Aaron's case and other
abusive prosecutions - and punish all wrongdoing.

*

Tweets in English:

pls RT  Aaron Swartz Lives! #aaronswlives  Demand Justice for #aaronsw:
http://abre.ai/lxp on @demandprogress

*

Tuítes em Português:

RT  Justiça para #aaronsw: + fazer inquérito sobre sua persguição
http://abre.ai/lzA via @demandprogress

RT  Aaron Swartz Vive! #aaronswlives - Justiça para #aaronsw:
http://abre.ai/lxp via @demandprogress

*


Remember Aaron Swartz:


Aaron Swartz: Vídeo Palestra How We Stopped SOPA: http://www.youtube.com/watch?v=Fgh2dFngFsg

Aaron Swartz in Wikipedia:


Aaron Swartz Photos: http://abre.ai/lxM

*



Manifesto Guerrilha do Acesso Livre:


Informação é poder.
Mas, como todo o poder, há aqueles 
que querem mantê-lo para si mesmos.

A herança inteira do mundo científico e cultural,
publicada ao longo dos séculos em livros e revistas, 
é cada vez mais digitalizada e trancada 
por um punhado de corporações privadas.

Quer ler os jornais apresentando 
os resultados mais famosos das ciências? 
Você vai precisar enviar enormes quantias 
para editoras como a ReedElsevier.

Há aqueles que lutam para mudar esta situação.
O Movimento Open Access tem lutado 
bravamente para garantir que os cientistas 
não assinem seus direitos autorais por aí; 
mas, em vez disso, assegurem que o seu trabalho 
seja publicado na internet, sob termos 
que permitam o acesso a qualquer um.

Mas, mesmo nos melhores cenários, 
o trabalho deles só será aplicado 
a coisas publicadas no futuro. 
Tudo até agora terá sido perdido.

Esse é um preço muito alto a pagar. 
Obrigar pesquisadores a pagar 
para ler o trabalho dos seus colegas? 

Digitalizar bibliotecas inteiras, mas apenas
permitindo que o pessoal do Google possa lê-las

Fornecer artigos científicos para aqueles 
em universidades de elite do Primeiro Mundo, 
mas não para as crianças no Sul do Globo?
Isso é escandaloso e inaceitável.

Eu concordo, muitos dizem, 
mas o que podemos fazer?
As empresas que detêm direitos autorais 
fazem uma enorme quantidade de dinheiro 
com a cobrança pelo acesso, e é perfeitamente legal  
não há nada que possamos fazer para detê-los.

Mas há algo que podemos, 
algo que já está sendo feito: 
podemos contra-atacar.

Aqueles com acesso a esses recursos  
estudantes, bibliotecários, cientistas  
a vocês foi dado um privilégio. 
Vocês começam a se alimentar 
nesse banquete de conhecimento, 
enquanto o resto do mundo está bloqueado.

Mas vocês não precisam  
na verdade, moralmente, não podem  
manter este privilégio para vocês mesmos.

Vocês têm um dever de compartilhar isso com o mundo.
E vocês têm que negociar senhas com colegas, 
preencher pedidos de download para amigos.

Enquanto isso, aqueles que foram bloqueados 
não estão em pé de braços cruzados. 
Vocês vêm se esgueirando através de buracos e 
 escalando cercas, libertando as informações trancadas 
pelos editores e as compartilhando com seus amigos.

Mas toda essa ação se passa no escuro, 
num escondido subsolo.
É chamada de roubo ou pirataria, 
como se compartilhar uma riqueza de conhecimentos 
fosse o equivalente moral a saquear um navio 
e assassinar sua tripulação.

Mas compartilhar não é imoral é um imperativo moral.
Apenas aqueles cegos pela ganância 
iriam se negar a deixar um amigo fazer uma cópia.

Grandes corporações, é claro, estão cegas pela ganância.
As leis sob as quais elas operam exigem isso  
seus acionistas iriam se revoltar por qualquer coisinha.

E os políticos que elas têm comprado por trás 
aprovam leis dando-lhes o poder exclusivo 
de decidir quem pode fazer cópias.

Não há justiça em seguir leis injustas.
É hora de vir para a luz e, 
na grande tradição da desobediência civil, declarar 
nossa oposição a este roubo privado da cultura pública.

Precisamos levar informação, 
onde quer que ela esteja armazenada, 
fazer nossas cópias e compartilhá-la com o mundo.

Precisamos levar material que está protegido 
por direitos autorais e adicioná-lo ao arquivo.

Precisamos comprar bancos de dados 
secretos e colocá-los na Web.
Precisamos baixar revistas científicas e subi-las 
para redes de compartilhamento de arquivos.

Precisamos lutar pela Guerilla Open Access.

Se somarmos muitos de nós, não vamos apenas 
enviar uma forte mensagem de oposição 
à privatização do conhecimento vamos 
transformar essa privatização em algo do passado.

Você vai se juntar a nós?

Aaron Swartz                                                                                                            
Julho de 2008, Eremo, Itália.
*


.*.

*

terça-feira, 1 de janeiro de 2013

* Bom Dia, Ano Novo!



*
@os Amad@s Amig@s,

Alegria!

Saúde, Luz, Paz, Amor, Felicidade, Poesia!



Convívio Fraternal, Imaginação, Fantasia!

*


*

Ovo Cósmico - pintura de Salvador Dalí

.*.

Seguir