segunda-feira, 23 de julho de 2018

Chacina da Candelária - 25 Anos + Poesia


Chacina da Candelári
a  25 Anos

23 de Julho de 1993  2018


Pintura no local da Chacina da Candelária


A Canção dos Meninos Mortos


Sete meninos mortos
Nas calçadas do Brasil

Sete zil anônimos assassinados
Filhos da Pátria puta que os pariu

Sete zilhões de consciências
Entregues ao vício verde-amarelo-branco-azul anil

Sete zilhões de corações
Vezes setenta triviolações

Setecentas tantas outras
Formas de alienação

Sedentos vermes da morte
Cumprindo sua função

Sete vezes me alucino
Vezes sete digo não

* * *

Ser tão comum
Igualmente amoroso

Vê o vento da noite
Levar sua vida embora

Embora uma vida de cão
Flores setembra a Primavera


S. R. Tuppan

[ Do livro ATINGUASSU, inédito ]


*

[ Postado originalmente no sábado, 24 de Julho de 2010 ]



Silhuetas pintadas dos jovens assassinados
na calçada da Igreja da Candelária,
Centro do Rio de Janeiro | Foto: Marcos Vianna

. * .

quarta-feira, 20 de junho de 2018

Poetry ~ Arts ~ Life


Poetry


Iris, Messenger of the Gods ~ Auguste Rodin


Acquired sapience

On a new birthday


Gratitude for friendship


To live simple truth


In this ever-several world

Giving zil saves to life


S. R. Tuppan



Debussy ~ Prelude to the Afternoon of A Faun

Rock Arrangement by Ed Chang



domingo, 15 de abril de 2018

Sonho Dourado ~ Pensamento Poético



Sonho Dourado


A perfeição. Ei-la, desde pequena:

Talentosa, inteligente, determinada, boa, lindíssima!


Expressão d'alma temporal ~ vívida, tórrida, esfuziante, entusiasmada!

Inebriante, imanente, ávida, sensual.


Vária, simultânea ~ audaciosa, infantil, ardilosa, cruel, artificial.

Mezzo sombria, belicosa, ilusória, paradoxal.


Contraditória musa ~ onipresente, insabida.

Lúbrica promessa, entusiasmo abissal.


Aahh!! Explosões de ocasos estelares.

Delírio público, adorada imagem medial.


Maquilada desilusão das aparências.

Âmago crivado, novelha inesgotável dor.


Pseudonírica.  Tragicônica.

Rútila, então; decadente, alheia, débil, infeliz, no final.


S. R. Tuppan











Images: Rita Hayworth’s Atomic Edition by Tuppan


*


Em PDF:

file:///C:/Users/Sílvio/OneDrive/Documentos/Sonho%20%20Dourado%20(final-1a),%20S.%20R.%20Tuppan%20(18Abr2018).pdf


~ * ~

sábado, 14 de abril de 2018

Jogos Históricos ~ Crônica



Jogos Históricos




Já começa com gol o clássico alvinegro; o visitante marca primeiro, diminuindo a distância pros três tentos de que precisa para empatar na soma das partidas ~ a outra foi 3 x 0 pro adversário ~, ocasionando a improvável prorrogação.

É o Futebol! Pense num jogo gostoso de jogar!
Na praia é o melhor lugar, na areia lisa, junto às espumas do mar.

Este é da Liga dos Campeões, grande torneio internacional.
Nesta fase, são oito times, passando quatro pras semifinais.

O estádio lotado lembra um moderno Coliseu, com 22 no palco, a gladiar com a bola, na busca da inebriante e tão sonhada quanto efêmera, fúlgida inobstante fugidia e vã, marcante ou pequena glória.





No dia seguinte, a maior surpresa: na partida de volta, o rubro-amarelo goleia o azul-grená estrangeiro por 3 x 0, tendo a vantagem do gol fora, na ida, quando perdera por 4 x 1, devolvendo agora a goleada e levando ao delírio torcedores, dirigentes, narradores e quem gosta deste esporte único nas infindáveis possibilidades, que nos propicia as mais diversas situações.

Como descrever tal fenômeno, nos seus instantes de apogeu?

Jogar bola é bem melhor que assistir, mas, quando vemos um jogão desses, é bom demais! Dois, então!!

Imprevisibilidades, vosso nome é futebol.
Quem diria, ao fim do primeiro embate, que tamanha diferença no placar se reverteria?
Pois quem ganhara, nos dois casos, era considerado superior.


O inesperado acontece, o imprevisto de novo se apresenta.
Nos momentos finais, falta na área, pênalti, gol!

Melhor do mundo, artilheiro-mor do campeonato, líder do Clube mais campeão, obstinado e cruel, o exímio goleador insaciável não perdoa, marca.

Último lance do jogo, a torcida da casa comemora a ida pra semifinal e sai toda contente, mesmo perdendo de 3 a 1, vivenciando aqueles jogos incríveis, de intensas emoções e sentimentos indescritíveis.


Diversões provisórias, êxtases tais são como folgas das mui longas e tristes horas cheias de mazelas, durezas, dramas e tragédias ~ feiuras várias difusas no mundo, ao longo da história ~, e no (bem sabe-se como) resiliente cotidiano nacional.

São como bálsamos urgentes, ínterim da re-adiada, porém inevitável ~ tomadora, contudo imperiosa ~ consciência da desafiadora concretude da vida real.


S. R. Tuppan


~ * ~

quarta-feira, 4 de abril de 2018

sábado, 31 de março de 2018

Peremptório? ~ Pensamento Poético



Peremptório?


toc-toc

toque

retoque

troque

destroque

tudo é questão de repertório

de saber ler o oratório

e decifrar o conteúdo vibratório


S. R. Tuppan




quarta-feira, 14 de março de 2018

Ensinaprendendo ~ Poesia




Ensinaprendendo


Bem-vind@, querid@!

Vamos festejar

A vida é o que há

Agora vivida

As lutas, a lida

Artes, consciência

Singela indolência

Valendo a visita

Boa gente bonita

Simples sapiência.




Brooklyn, NY, EUA | Foto: Lance Grandahl on Unsplash




.*.